OFERTA FORMATIVA

Ref. 252Turma1 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: ACD 016 2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 06-03-2024

Fim: 06-03-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Viriato

Formador

Alexandre Gomes

Destinatários

Professores dos grupos 500, 510, 520, 550 da Escola Secundário Viriato

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas de Viseu - VISPROF

Objetivos

• Desenvolver competências inerentes ao trabalho em metodologia STEM; • Mobilizar o pensamento computacional no processo de ensino/aprendizagem; • Aplicara algoritmia e a programação em projetos reais.

Conteúdos

• Fundamentos da programação em Python; • Utilização de sensores e interfaces controladas por programação em Python • O ecossistema TI-Nspire a suas potencialidades para o desenvolvimento de projetos STEM


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 06-03-2024 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

Ref. 269Turma 1 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-122487/24

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 08-03-2024

Fim: 13-04-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Superior de Saúde

Formador

Luís Miguel Pereira Condeço

Maria Odete Pereira Amaral

Ana Isabel Nunes Pereira de Azevedo e Andrade

Manuel Pereira Cordeiro

Susana Marisa Loureiro Pais Batista

Maria Isabel Bica Carvalho

Sofia Margarida Guedes de Campos

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas de Viseu - VISPROF

Enquadramento

Na saúde escolar as crianças e jovens com necessidades de saúde especiais identificadas são um dos focos de intervenção devido ao impacto na sua funcionalidade, nas limitações que apresentam e que se podem traduzir em alterações na frequência escolar e possível comprometimento do processo de aprendizagem. Numa escola inclusiva, prioridade política atual, cada aluno/a tem direito a uma educação para todos/as e cada um/a dos/as alunos/as são respeitados nas suas potencialidades, expectativas e necessidades no âmbito de um projeto educativo que proporcione a todos/as a participação e o sentido de pertença, equidade, contribuindo assim para a aquisição de um nível de educação e formação facilitadoras da sua plena inclusão social.

Objetivos

1. Promover conhecimentos para uma abordagem integrada e colaborativa do percurso escolar, de acordo com o Dec. Lei nº 54/2018 e Programa Nacional de Saúde Escolar, garantindo uma educação de qualidade ao longo da escolaridade obrigatória. 2. Capacitar para a literacia e o auto-cuidado em saúde na comunidade educativa para melhor executar e orientar atividades em saúde junto das crianças e jovens. 3. Habilitar a comunidade educativa para referenciar à equipa de saúde escolar crianças e jovens que necessitem de apoio e acompanhamento especializado. 4. Capacitar para a aplicação multinível de medidas universais, selectivas e adicionais de suporte à aprendizagem e à inclusão de crianças e jovens.

Conteúdos

1. Promoção da saúde, literacia e autocuidado - 5 horas 2. Programa Nacional de Saúde Escolar – 15 horas - Enquadramento e características - Diagnóstico e intervenção em necessidades especiais de saúde - Referenciação 3. A escola inclusiva e colaborativa (Dec. Lei nº 54/2018) – 15 horas - Conceitos de educação inclusiva, escola colaborativa e o trabalho em rede - A educação diferenciada e o envolvimento da comunidade (professores, técnicos especializados, pais, pessoal não docente, alunos e profissionais de saúde) - As práticas inclusivas e os recursos de uma escola colaborativa 4. Os suportes académicos e o acesso ao currículo completo - 5 horas - Medidas de suporte à aprendizagem e à inclusão - A equipa multidisciplinar - Recursos educativos e comunitários 5. Os comportamentos promotores de um ambiente de aprendizagem positivo - 8 horas - O respeito pela diversidade e a criação de um ambiente acolhedor para todos - Competências socio emocionais: autoconhecimento, autogestão, consciência social, relações interpessoais, tomada de decisão responsável - Redução de comportamentos de risco 6. Apresentação e avaliação (2 horas) - Apresentar os objetivos e conteúdos do programa de formação (início da formação) - Refletir sobre a importância da formação numa dinâmica de grupo (após a formação) - Aplicar questionário de avaliação da formação (após cada sessão e no final do curso)

Metodologias

Pretende-se que as sessões sejam eminentemente práticas no sentido da aquisição, desenvolvimento e treino de competências dos docentes para promoção da saúde e utilização de práticas multinível de medidas universais, selectivas e adicionais de suporte à aprendizagem e à inclusão de crianças e jovens. Capacitação para a sinalização e encaminhamento adequado das várias necessidades de saúde identificadas. 1. Exposição oral dos temas com ajuda de meios audio-visuais 2. Trabalhos de grupo de análise de casos, com o objectivo de sensibilizar e produzir conhecimento; 3. Psicodrama, com o objectivo de fazer intuir situações reais; 4. ”Brainstorming” para produção de novas ideias; 5. Estudo de casos.

Avaliação

Os formandos serão avaliados com uma avaliação quantitativa com referencial de escala de avaliação previsto no 2 do artigo 46.º do Estatuto da Carreira Docente aprovado pelo Decreto-Lei n.º 15/2007, de 19 de Janeiro: Excelente – de 9 a 10 valores; Muito Bom – de 8 a 8, 9 valores; Bom – de 6, 5 a 7, 9 valores; Regular – de 5 a 6, 4 valores; Insuficiente – de 1 a 4, 9 valores.

Bibliografia

Budiarti, N., & Sugito, S. (2018). Creating Inclusive Culture of Elementary Schools. Jurnal Ilmiah Peuradeun, 6(2), 307-324. doi:10.26811/peuradeun.v6i2.237Colucci-Gray, L., Trowsdale, J., Cooke, C. F., Davies, R., Burnard, P., & Gray, D. S. (2017). Reviewing the potential and challenges of developing STEAM education through creative pedagogies for 21st learning: how can school curricula be broadened towards a more responsive, dynamic, and inclusive form of education? British Educational research Association.Direção – Geral da Saúde (DGS). (2018). Para uma Educação Inclusiva: Manual de Apoio à prática. Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional (ANQEP) e Instituto Nacional para a Reabilitação, I. P. (INR). Ministério de Educação/ Direção – Geral da EducaçãoPortugal. Decreto-Lei n.º 54/2018 de 6 de julho.Portugal. Ministério da Saúde. Direção Geral da Saúde. (2015). Programa Nacional de Saúde Escolar. Lisboa: DGS.


Observações

Critérios de seleção: 1 - Docentes das escolas associadas do Visprof; 2 - Docentes de outras escolas; Em cada critério, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 08-03-2024 (Sexta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
2 09-03-2024 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial
3 09-03-2024 (Sábado) 14:00 - 20:00 6:00 Presencial
4 14-03-2024 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
5 16-03-2024 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial
6 16-03-2024 (Sábado) 14:00 - 20:00 6:00 Presencial
7 21-03-2024 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
8 23-03-2024 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial
9 23-03-2024 (Sábado) 14:00 - 20:00 6:00 Presencial
10 12-04-2024 (Sexta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
11 13-04-2024 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial
12 13-04-2024 (Sábado) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial

Ref. 284Turma 1 Inscrições abertas até 06-03-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: ACD 037 2023/2024

Modalidade: Outro

Duração: 3.0 horas

Início: 08-03-2024

Fim: 08-03-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Viriato

Destinatários

Pessoal não docente;

Acreditado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas de Viseu - VISPROF

Enquadramento

O Bem-Estar é um estado em que nos sentimos bem connosco próprios, com os outros e com a nossa vida, em geral. Quando experienciamos Bem-Estar sentimo-nos bem física e psicologicamente, sentimo-nos em relação com outras pessoas, temos um sentido de controlo e propósito para a nossa vida. O Autocuidado envolve todas as atividades que, regularmente, escolhemos fazer e que ajudam a manter ou melhorar o nosso Bem-estar e Saúde, incluindo a Saúde Psicológica (Ordem dos Psicólogos Portugueses, 2021}. Aquilo que sentimos como Bem-Estar é diferente para cada um de nós e mesmo diferente em nós em diferentes momentos da nossa vida. O nosso estado de Bem-Estar não é permanente e é subjetivo, pelo que é natural passarmos por períodos em que o nosso Bem-Estar é desafiado. Nesses momentos é ainda mais importante cuidarmos de nós e do nosso Bem-Estar. TODAS/OS NÓS ... vivemos momentos difíceis durante a vida. Aprender sobre estratégias de autocuidado reforça a nossa capacidade de lidar com os desafios inesperados que enfrentamos (Ordem dos Psicólogos Portugueses, 2021).

Conteúdos

- Compreender o conceito e as dimensões do bem-estar mental; - Promover a literacia emocional; - Promover estratégias de regulação emocional adaptativas a nível individual e interpessoal; - Sensibilizar para a importância da procura de ajuda para si e para os outros, quando necessário.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 08-03-2024 (Sexta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

INSCREVER-ME

Ref. 285Turma 1 Inscrições abertas até 06-03-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: ACD 038 2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 08-03-2024

Fim: 08-03-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Viriato

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas de Viseu - VISPROF

Enquadramento

O Bem-Estar é um estado em que nos sentimos bem connosco próprios, com os outros e com a nossa vida, em geral. Quando experienciamos Bem-Estar sentimo-nos bem física e psicologicamente, sentimo-nos em relação com outras pessoas, temos um sentido de controlo e propósito para a nossa vida. O Autocuidado envolve todas as atividades que, regularmente, escolhemos fazer e que ajudam a manter ou melhorar o nosso Bem-estar e Saúde, incluindo a Saúde Psicológica (Ordem dos Psicólogos Portugueses, 2021}. Aquilo que sentimos como Bem-Estar é diferente para cada um de nós e mesmo diferente em nós em diferentes momentos da nossa vida. O nosso estado de Bem-Estar não é permanente e é subjetivo, pelo que é natural passarmos por períodos em que o nosso Bem-Estar é desafiado. Nesses momentos é ainda mais importante cuidarmos de nós e do nosso Bem-Estar. TODAS/OS NÓS ... vivemos momentos difíceis durante a vida. Aprender sobre estratégias de autocuidado reforça a nossa capacidade de lidar com os desafios inesperados que enfrentamos (Ordem dos Psicó

Conteúdos

- Compreender o conceito e as dimensões do bem-estar mental; - Promover a literacia emocional; - Promover estratégias de regulação emocional adaptativas a nível individual e interpessoal; - Sensibilizar para a importância da procura de ajuda para si e para os outros, quando necessário.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 08-03-2024 (Sexta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

INSCREVER-ME

Ref. 268Turma 1 Inscrições abertas até 07-03-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-122488/24

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 12.0 horas

Início: 11-03-2024

Fim: 19-03-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Superior de Saúde

Formador

Sónia Patricia Teixeira da Silva Alves

Amadeu Matos Gonçalves

Maria Isabel Bica Carvalho

Sofia Margarida Guedes de Campos

Destinatários

Professores dos Grupos 100, 110, 910, 920 e 930

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 100, 110, 910, 920 e 930. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A promoção da saúde mental, assente no desenvolvimento de competências socioemocionais, é, segundo o Programa Nacional de Saúde Escolar (PNSE), o pi¬lar da capacitação de crianças e jovens em promoção e educação para a saúde, assim como fator coadjuvante do sucesso escolar. Assim, considera-se que os educadores e professores são modelos de referência no domínio da relação com os alunos e com a restante comunidade educativa, pelo que se torna imprescindível dotá-los de um conjunto de conhecimentos, atitudes e competências que lhes permitam contribuir para a promoção da saúde, do bem-estar mental e do sucesso educativo de todos os seus alunos.

Objetivos

Após a formação, os educadores e professores deverão ser capazes de: Se posicionar como agentes promotores da saúde, do bem-estar mental e do sucesso educativo através do desenvolvimento das competências socioemocionais; Ajudar os alunos a desenvolverem competências socioemocionais eficazes e a compreenderem o seu próprio comportamento. Partir da análise crítica das suas atitudes e práticas educativas para promover uma intervenção fundamentada nos modelos baseados na evidência científica, usando os resul¬tados da avaliação para justificar decisões;Criar e utilizar ferramentas, materiais, instrumentos e linhas orientadoras de boas práticas e agilizar a implementação das mesmas, de forma sistemática, no âmbito da saúde mental dos alunos, incluindo alunos com necessidades educativas especiais.

Conteúdos

Saúde Mental em Meio Escolar • Definição de saúde mental; saúde mental e bem-estar emocional; • Literacia emocional, promoção da saúde e coping; • Saúde mental e competências socioemocionais (lidar com emoções, sentimentos e situações difíceis; comunicação e relacionamento interpessoal; resolução de problemas e situações de conflito; capacidade de escuta e entreajuda; lidar com as mudanças e as perdas); • Bullying e violência na escola; • Fatores protetores da saúde mental (resiliência, autorregulação, relacionamento com família, pares, contexto escolar, competências pessoais e sociais). Boas práticas: apresentação, critérios de apreciação e seleção • Como selecionar estratégias para o enquadramento da promoção da saúde mental na atividade do educador/professor de educação especial. • Ferramentas, instrumentos, materiais e planificações para o trabalho autónomo: apresentação, critérios de análise e práticas a reter. • Como envolver a família: boas práticas e relatos do impacto na dinâmica familiar. • Pontos a reter com vista a um trabalho continuado. • Avaliação da eficácia da formação

Metodologias

Sessões presenciais teórico-práticas. Metodologias ativas e participativas. Avaliação, discussão e disseminação de boas práticas. Sistematização de conclusões para adoção de instrumentos e práticas. Consolidação de conceitos fundamentais.

Avaliação

A avaliação dos formandos será feita tendo em conta os fatores: 1 – Participação 40% 2 – Teste/Trabalho final 60% O referencial da escala de avaliação é o previsto no n.º 2 do artigo 46º do Estatuto da Carreira Docente, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 15/2017, de 19 de janeiro: • Excelente – de 9 a 10 valores; • Muito Bom – de 8 a 8,9 valores; • Bom – de 6,5 a 7,9 valores; • Regular – de 5 a 6,4 valores; • Insuficiente - de 1 a 4,9 valores.

Bibliografia

• Programa Nacional de Saúde Escolar. Lisboa: DGS, 2015• Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar. Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação (DGE). 2016• Canha, L., e Neves, S. (2008). Promoção de Competências Pessoais e Sociais, Desenvolvimento de um Modelo Adaptado a crianças e jovens com deficiência, Manual. Associação de Paralisia Cerebral de Odemira: Instituto Nacional para a Reabilitação• Matos, M. (1998). Comunicação, gestão de conflitos na escola. Lisboa: CDI/FMH/UTL., pág. 75• Manual para a Promoção de Competências Sócio emocionais em meio escolar. Lisboa: DGS, 2016.

Anexo(s)

Cartaz divulgação


Observações

Critérios de seleção: 1 - Docentes das escolas associadas do Visprof; 2 - Docentes de outras escolas; Em cada critério, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 11-03-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
2 12-03-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
3 18-03-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
4 19-03-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial

INSCREVER-ME

Ref. 278Turma 1 Inscrições abertas até 07-03-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: ACD 032 2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 11-03-2024

Fim: 11-03-2024

Regime: Presencial

Local: Agrupamento Escolas Infante D.Henrique

Formador

Catarina Isabel Machado Baranda Vasconcelos

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas de Viseu - VISPROF


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 11-03-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial

INSCREVER-ME

Ref. 286Turma 1 Inscrições abertas até 11-03-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: ACD 039 2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 13-03-2024

Fim: 13-03-2024

Regime: Presencial

Local: Sala reuniões Centro de Saúde Viseu III

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas de Viseu - VISPROF

Enquadramento

A adolescência é um momento único, que molda as pessoas para a vida adulta. Enquanto a maioria dos adolescentes tem saúde, múltiplas mudanças físicas, emocionais, sociais e patologias, podem tornar os adolescentes vulneráveis a condições de saúde mental e física. Com esta ação pretende-se aumentar a literacia em saúde, nas diferentes Necessidades de Saúde Especiais (NSE) nomeadamente acerca da Diabetes tipo I e da Epilepsia, no pessoal docente e não docente.

Conteúdos

Diabetes Mellitus tipo I e a escola, monitorização da glicémia, hidratos de carbono, hipoglicémia e hiperglicemia (com respetivos algoritmos). Crise epilética VS epilepsia, fatores desencadeantes, tipos de crise, tratamento, a epilepsia e a escola.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 13-03-2024 (Quarta-feira) 15:00 - 18:00 3:00 Presencial

INSCREVER-ME

Ref. 287Turma 1 Inscrições abertas até 11-03-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: ACD 040 2023/2024

Modalidade: Outro

Duração: 3.0 horas

Início: 13-03-2024

Fim: 13-03-2024

Regime: Presencial

Local: Sala reuniões Centro de Saúde Viseu III

Destinatários

Pessoal não docente;

Acreditado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas de Viseu - VISPROF

Enquadramento

A adolescência é um momento único, que molda as pessoas para a vida adulta. Enquanto a maioria dos adolescentes tem saúde, múltiplas mudanças físicas, emocionais, sociais e patologias, podem tornar os adolescentes vulneráveis a condições de saúde mental e física. Com esta ação pretende-se aumentar a literacia em saúde, nas diferentes Necessidades de Saúde Especiais (NSE) nomeadamente acerca da Diabetes tipo I e da Epilepsia, no pessoal docente e não docente.

Conteúdos

Diabetes Mellitus tipo I e a escola, monitorização da glicémia, hidratos de carbono, hipoglicémia e hiperglicemia (com respetivos algoritmos). Crise epilética VS epilepsia, fatores desencadeantes, tipos de crise, tratamento, a epilepsia e a escola.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 13-03-2024 (Quarta-feira) 15:00 - 18:00 3:00 Presencial

INSCREVER-ME

Ref. 282Turma 1 Inscrições abertas até 11-03-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: ACD 036 2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 15-03-2024

Fim: 15-03-2024

Regime: Presencial

Local: Auditório da Escola Secundária Alves Martins

Formador

Carla Susana Tavares Santiago Monteiro

Destinatários

Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário;

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas de Viseu - VISPROF

Objetivos

Os Centros Qualifica são centros especializados em qualificação de adultos, vocacionados para a informação, o aconselhamento e o encaminhamento para ofertas de educação e formação profissional de adultos com idade igual ou superior a 18 anos que procuram uma qualificação. No âmbito do sistema nacional de qualificações, os Centros Qualifica assumem um papel chave ao contribuir para aumentar os níveis de qualificação e melhorar a empregabilidade da população adulta, dotando-a de mais e melhores competências ajustadas às necessidades do mercado de trabalho e de desenvolvimento pessoal, numa perspetiva de aprendizagem ao longo da vida. São atribuições dos Centros: a) A informação, a orientação e o encaminhamento de candidatos, designadamente para ofertas de ensino e formação profissionais, tendo por base as diferentes modalidades de qualificação e procurando adequar as ofertas existentes aos perfis, necessidades, motivações e expectativas dos candidatos e às dinâmicas do mercado de trabalho; b) O reconhecimento, validação e certificação das competências desenvolvidas pelos adultos ao longo da vida por vias formais, informais e não formais, de âmbito escolar, com base nos referenciais do Catálogo Nacional de Qualificações; c) O desenvolvimento de ações de informação e de divulgação dirigidas a jovens e adultos, a empresas e outros empregadores, sobre as ofertas de educação e formação profissional disponíveis e sobre a relevância da aprendizagem ao longo da vida; d) A dinamização e participação em redes de parceria de base territorial que contribuam, no âmbito da educação e formação profissional, para uma intervenção mais integrada e consistente, na identificação de necessidades concretas de qualificação e na organização de respostas úteis para as populações, designadamente que facilitem a sinalização e identificação dos jovens que estão fora do sistema de educação e formação e promovam o seu encaminhamento para respostas de qualificação adequadas; e) A monitorização do percurso dos candidatos encaminhados para ofertas de qualificação. A valorização do capital humano é uma vantagem competitiva, por isso destaca-se a necessidade de aumentar a taxa de participação dos adultos na aprendizagem ao longo da vida e a inovação nos sistemas de ensino e formação. Na sequência do contexto atual, as práticas inovadoras devem, não só dotar os trabalhadores das competências adequadas para os mercados de trabalho em rápida mudança, mas também capacitar a força de trabalho atual e futura com a criatividade e as competências necessárias para responder à crescente complexidade dos desafios profissionais. O desenvolvimento de novas práticas educativas e formativas exigem uma abordagem mais global no sentido de promover a aprendizagem e a cooperação estratégica europeia, contribuindo assim para o crescimento sustentável, o emprego de qualidade, a coesão social e o reforço da identidade europeia. Os participantes, professores, alunos, técnicos, terão a oportunidade de partilhar práticas, estimulando o pensamento divergente, de refletir sobre a importância de transformar a diversidade cultural em oportunidades de crescimento e de aprender em contextos não formais, informais e formais. O contacto com realidades diferentes tenderá a promover a cooperação, a inclusão, a tolerância e a criatividade e inovação.

Conteúdos

1-Centros Qualifica: Encaminhamentos e Testemunhos 1.1. Potencialidades dos Centros Qualifica e âmbito de atuação; 1.2. Partilha de boas práticas; 1.3. Novas abordagens à Educação e Formação de Adultos.


Observações

Critérios de seleção: 1- Docentes da Escola Secundária Alves Martins 2- Docentes de outras escolas

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 15-03-2024 (Sexta-feira) 09:30 - 13:30 4:00 Presencial

INSCREVER-ME

Ref. 276Turma 1 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: DGAE/1128/2024

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 25-03-2024

Fim: 28-03-2024

Regime: Presencial

Local: Centro de Saúde nº3

Formador

Ana Cláudia Albuquerque Almeida Santos Oliveira

Joaquim Filipe Silva Carreira

Joel Diogo Matias Carvalhais

Destinatários

Pessoal não docente;

Acreditado pelo

DGAE - Direção-Geral da Administração Escolar

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas de Viseu - VISPROF

Enquadramento

Em função do plano de atividades: Os Agrupamentos/Escolas não agrupadas do Concelho de Viseu assumem publicamente nos respetivos PE como um dos objetivos a criação e implementação de estratégias que promovam o desenvolvimento das competências dos assistentes operacionais, nomeadamente através de formação, enquanto oportunidade de atualização e aperfeiçoamento dos conhecimentos e competências pessoais e profissionais. Importa, pois, que toda a escola e todos os agentes educativos contribuam com as melhores práticas para a melhoria e a eficácia da ação educativa das escolas. Em função dos destinatários: A promoção da saúde em meio escolar, assente nos princípios das EPS (Escolas Promotoras da Saúde - equidade, sustentabilidade, participação democrática, educação inclusiva e empowerment de toda a comunidade educativa para a saúde e o bem-estar) e numa metodologia de trabalho por projeto, tem como ponto de partida as necessidades reais da população escolar, desenvolve processos de ensino e aprendizagem que melhoram os resultados académicos e contribui para elevar o nível de literacia para a saúde e melhorar o estilo de vida da comunidade educativa. Tendo em conta as razões anteriores, é evidente a importância e necessidade de preparar estes profissionais no sentido de enfrentarem com competência as exigências com que se deparam no dia a dia

Objetivos

Contribuir para a melhoria da ação educativa e social da escola • Promover o desenvolvimento profissional dos assistentes operacionais • Contribuir para um ambiente escolar tranquilo, agradável e formador no seu todo, enquanto condição indispensável para a promoção de percursos escolares e educativos de qualidade • Promover a literacia e aprendizagem de habilidades em primeiros socorros e Suporte Básico de Vida; • Promover a literacia sobre alunos com Necessidades de Saúde Especiais (NSE) • Contribuir para um ambiente promotor da saúde em meio escola no que concerne os alunos com NSE; • Treinar habilidades e desenvolver de competências práticas no que concerne os alunos com NSE

Conteúdos

• Acidentes e primeiros socorros nas escolas; acidentes nas escolas; cadeia de sobrevivência; SBV adulto e pediátrico; desobstrução da via aérea; posição lateral de segurança; risco para o reanimador (14 horas). • Intervenção das escolas no âmbito dos alunos com NSE (1 hora). • Intervenção em alunos com Alergias Alimentares em contexto escolar (2 horas). • Intervenção em alunos com Diabetes Mellitus tipo 1 em contexto escolar (2 horas). • Intervenção em alunos com Epilepsia em contexto escolar (2 horas). • Intervenção em alunos com Asma em contexto escolar (2 horas). • Intervenção em alunos com Doença Mental em contexto escolar (2 horas)

Anexo(s)

AN2


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 25-03-2024 (Segunda-feira) 09:00 - 12:30 3:30 Presencial
2 25-03-2024 (Segunda-feira) 14:30 - 18:00 3:30 Presencial
3 26-03-2024 (Terça-feira) 09:00 - 12:30 3:30 Presencial
4 26-03-2024 (Terça-feira) 14:30 - 18:00 3:30 Presencial
5 27-03-2024 (Quarta-feira) 09:00 - 12:30 3:30 Presencial
6 27-03-2024 (Quarta-feira) 14:30 - 18:00 3:30 Presencial
7 28-03-2024 (Quinta-feira) 09:00 - 12:30 3:30 Presencial

Ref. 290Turma 1 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-123309/24

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 01-04-2024

Fim: 30-04-2024

Regime: Presencial

Local: None

Formador

Fernando Cunha Enes

Destinatários

Professores de Educação Física: grupos 260 e 620

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores de Educação Física: grupos 260 e 620. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores de Educação Física: grupos 260 e 620.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas de Viseu - VISPROF

Enquadramento

O crescente interesse por atividades de aventura e ar livre, como a escalada, nas escolas, destaca a necessidade de capacitar professores para lecionar essa modalidade com segurança e eficácia. A escalada, agora parte dos Jogos Olímpicos e dos currículos escolares, requer formação específica para que os professores possam aproveitar seu potencial pedagógico e promover valores como autonomia e cooperação. Esta ação de formação visa fornecer recursos técnicos e didáticos necessários para a prática segura da escalada, explorando seu potencial educativo e maximizando o uso de recursos materiais existentes, além de prevenir práticas inseguras e acidentes.

Objetivos

- Contextualizar os participantes sobre a prática de escalada. - Dotar o participante dos aspetos técnicos da escalada. - Dotar o participante de ferramentas para a ensino das diferentes técnicas de escalada. - Transmitir princípios de progressão e segurança. - Estruturar o planeamento de atividades de escalada. - Executar tarefas de segurança ativa e passiva de operacionalização e enquadramento de grupos na acessibilidade e execução nos diferentes aparelhos. - Sensibilizar para as boas práticas éticas e ambientais em atividades desportivas na natureza. - Utilização da escalada como meio de promoção de valores.

Conteúdos

A ação será constituída por 8 sessões teórico/práticas de 3 e 4 horas: 1ª sessão (3h) – teórica / prática - estrutura artificial de escalada da ES Emídio Navarro (ESEN) - Contextualização da atividade - Origem e evolução da escalada; Equipamentos e nós. 2ª sessão (3h) – teórico / práticas - estrutura artificial de escalada da ESEN - Motricidade da Escalada - Jogos de Escalada; Reportório gestual de escalada. 3ª sessão (3h) – teórico / práticas - estrutura artificial de escalada da ESEN - Escalada de Bloco - Segurança; Tipos de blocos; Regulamento da competição; Organização de competições; 4ª sessão (3h) – teórico / práticas - estrutura artificial de escalada da ESEN - Escalada com corda por cima (top-rope) - Segurança com aparelho manual (oito) e manualmente assistido (grigri). 5ª e 6ª sessão (3h + 3h) – teórico / práticas - estrutura artificial de escalada da ESEN - Escalada de primeiro (à frente) - Segurança; Fator e queda e força de choque; Técnica para proteção do escalador (Mosquetenear); Procedimentos para abandonar a via; Regulamento e organização de competições. 7ª sessão (3h) – teórico / práticas - estrutura artificial de escalada da ESEN - Descida em rapel em diferentes condições de prática. - Instalação de rapel com nó dinâmico; Amarrações e desmultiplicações. 8ª sessão (4h) – teórico / práticas - Escola de Escalada em Rocha - Viseu - Monitorização em atividades de escalada. - Preparação de atividades; Montagem de atividades; Monitorização de atividades; Procedimentos de segurança.

Metodologias

A ação de formação, consentânea com a modalidade de CF, seguirá uma metodologia teórico-prática, desenvolvendo-se numa articulação entre as sessões teóricas e as práticas, pelo que se recorrerá, conjuntamente, ao método expositivo para a apresentação de modelos e quadros teóricos e aos métodos ativos de natureza prática de aprendizagem cooperativa. Durante o curso, utilizar-se-á uma metodologia expositiva prática, centrada na transmissão de conteúdos estruturantes e regulamentar, enfatizando a prática efetiva e assumindo uma metodologia dialógica e de interação permanente entre formador e formandos. Nestes momentos, privilegiar-se-á uma dinâmica de natureza ativa, centrada na reflexão entre os formandos, designadamente através de: discussão e execução em pequeno grupo e/ou em pares sobre os conteúdos, materiais e técnicas apresentados, incutindo interações reflexivas no contexto da formação; aplicação de instrumentos em situações práticas, suscitando a avaliação mútua entre pares.

Avaliação

Os formandos serão avaliados durante e após a formação, abrangendo: • Avaliação diagnóstica inicial, para entender expectativas, perceções e conhecimentos da modalidade. • Avaliação formativa contínua, focada na aquisição e aplicação dos conteúdos. • Avaliação sumativa final, com um trabalho de reflexão e questionário. Os critérios de avaliação incluem: • Realização das atividades/sessões, de acordo com a legislação em vigor, obedecendo aos critérios do centro de formação. – 1 ponto • Atividades/intervenções efetuadas pelos formandos durante a ação – 3 pontos • Pequenas intervenções, sugeridas pelo formador, onde os formandos são desafiados a aplicar os conteúdos transmitidos – 3 pontos • Relatório final – 3 pontos A classificação segue uma escala de 1 a 10, exigindo-se nota mínima 5 e frequência de 2/3 das horas para aprovação, conforme a Carta Circular CCPFC-3/2007.

Bibliografia

Ataíde, F. (2000). Escalada Desportiva. A evolução em Portugal. Revista Montanha (1), 22Beroujon, Y., Gachet, C., Matera, M., Matera, P., Mazard, G., & Pruneau, C. (2003). Jeux en Escalade (1a ed.). Madrid: INDE PublicacionesCampo, H. del. (2002). Escalada en bloque (1a ed.). Madrid: Ediciones DesnivelChumbinho, R. (1996). A implantação de estruturas artificiais de escalada em meio escolar. Revista Horizonte, XII (72), 228–232.Cunha, N. (2016). Ensino de Escalada – Técnicas de segurança e progressão. Escola Superior de Desporto e Lazer de Melgaço.



Ref. 291Turma 1 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-123311/24

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 01-04-2024

Fim: 30-04-2024

Regime: Presencial

Local: None

Formador

Sofia Margarida Guedes de Campos

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas de Viseu - VISPROF

Enquadramento

Tendo em conta o crescente interesse pelas questões de saúde mental, bem como a elevada prevalência de problemas de doença mental e sofrimento psicológico vivido na nossa sociedade, torna-se premente o conhecimento de estratégias empiricamente validadas para reduzir o sofrimento psicológico. Neste sentido, o contexto escolar é um local privilegiado para trabalhar as questões emocionais desde cedo, bem com minimizar o sofrimento psicológico existente em qualquer elemento do ambiente escolar. Com esta ação pretende-se dotar os docentes de conhecimentos teóricos e práticos, para poderem, numa fase precoce, dar uma resposta efetiva a eventuais situações que surjam em ambiente escolar.

Objetivos

- Capacitar os formandos com conhecimentos para, no âmbito da sua prática pedagógica, intervirem em situações de crise psicológica - Definir regras de atuação, a fim de minimizar possíveis consequências traumáticas, que poderão decorrer destas situações - Prevenir possíveis consequências negativas no sucesso educativo dos alunos - Dotar os formandos de ferramentas para avaliação do impacto psicológico de um incidente crítico - Preparar para gerir, em contexto escolar, o stress perante incidentes críticos de caráter psicológico - Treinar técnicas específicas de intervenção na crise e redução do stress - Habilitar os formandos para realizar o adequado encaminhamento das vítimas para os Serviços e Apoios adequados a cada caso

Conteúdos

- O que é uma Crise o A natureza da crise o Sinais de aviso e críticos de uma crise o Influência de um incidente crítico sobre o rendimento escolar dos alunos; o Sintomas de um impacto traumático no comportamento em espaço de sala de aula e no ambiente escolar o Possíveis consequências psicossociais de um incidente crítico / impacto psicológico. - “Emergências“ Psicológicas o O que é uma emergência psicológica. o Como atuar perante uma emergência psicológica em contexto escolar. - Intervenção na Crise o Definição e princípios básicos. o Agentes de mudança, dando relevância aos agentes em contexto escolar. o Gestão do stress, no contexto de sala de aula, perante incidentes críticos. o Atuação perante uma vítima de um incidente crítico e perante familiares / amigos: o papel do Diretor de Turma o Avaliação do impacto psicológico de um incidente crítico e como fazer os encaminhamentos necessários. o Adaptações do Modelo SRP

Metodologias

O curso é composto por 25h de formação teórico-prática, divididas da seguinte forma: Ao longo das sessões será adotada uma metodologia teórico-prática. Ou seja, será apresentada uma componente teórica de enquadramento dos conceitos e, sempre que se justifique, uma componente prática em formato de role-play por forma a que os formandos possam praticar o que é apresentado. A componente teórica (com recurso a metodologias expositivas e a suportes de meios audiovisuais) irá alternar com a componente prática, na qual serão apresentados, pelo formador, materiais práticos e bibliografia de apoio, para análise, reflexão conjunta e realização de role-plays com a participação ao vivo dos formandos.

Avaliação

Escala de avaliação de 1 a 10 valores de acordo com o ECD e com as cartas circulares 3/2007 e 1/2008 do CCPFC. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final escrito elaborado pelos formandos. A aprovação na ação dependerá da obtenção de classificação igual ou superior a 5 valores e da frequência mínima de 2/3 do total de horas conjuntas da Ação.

Bibliografia

o Alexander & Sagramola (2014). Guidelines for Assisting People with Disabilities during Emergencies, Crises and Disasters. European and Mediterranean Major Hazards Agreement.o Brymer, M, Jacobs, A, Layne, C, Pynoos, R, Ruzek, J, Steinberg, A, et al. (2006). Psychological First Aid: Field operations guide (2nd ed.). Los Angeles: National Child Traumatic Stress Network and National Center for PTSD. http://www.nctsn.org/content/psychological-first-aid.o OMS (2011). Psychological first aid: Guide for field workers.o OMS (2013). Guidelines for the Management of Conditions Specifically Related to Stresso Roberts (2005). Crisis Intervention Handbook: assessment, treatment, and research (3rd ed.), Oxford University Press.



Ref. 288Turma 1 Inscrições abertas até 08-04-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: ACD 041 2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 10-04-2024

Fim: 10-04-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Viriato

Formador

Mariana Linharelhos Fernandes

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas de Viseu - VISPROF

Enquadramento

O stresse é um componente normativo no exercício de qualquer profissão, uma resposta eminentemente adaptativa na interação com o meio ambiente, resultante do desequilíbrio entre a perceção aumentada das exigências situacionais e a insuficiência dos recursos percecionados pelo próprio para enfrentar a situação, colocando em risco o seu bem-estar. O burnout ou síndrome de esgotamento profissional é um tipo específico de stresse ocupacional, ou seja, de stresse provocado pelo trabalho. Caracteriza-se, sobretudo, pela exaustão emocional e pela diminuição do envolvimento pessoal no trabalho. A autocompaixão significa cuidar de si próprio e tratar-se com gentileza em situações difíceis, gerando um equilíbrio emocional promotor de uma melhor gestão de sentimentos e das circunstâncias que os rodeiam e favorecem o otimismo e a satisfação com a vida. Com esta ação pretende-se estimular o autocuidado e a autocompaixão no pessoal docente e não docente.

Conteúdos

- Adolescência e dificuldades de regulação emocional na adolescência; - Desafios mais comuns: depressão, ansiedade social, comportamento desviante; - Encaminhamento de casos e intervenções em contexto de sala de aula; - Identificação de risco e sintomas de burnout; - Intervenções dirigidas para profissionais do burnout; - Estratégias de autocuidado.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 10-04-2024 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

INSCREVER-ME

Ref. 289Turma 1 Inscrições abertas até 08-04-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: ACD 042 2023/2024

Modalidade: Outro

Duração: 3.0 horas

Início: 10-04-2024

Fim: 10-04-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Viriato

Formador

Mariana Linharelhos Fernandes

Destinatários

Pessoal não docente;

Acreditado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas de Viseu - VISPROF

Enquadramento

O stresse é um componente normativo no exercício de qualquer profissão, uma resposta eminentemente adaptativa na interação com o meio ambiente, resultante do desequilíbrio entre a perceção aumentada das exigências situacionais e a insuficiência dos recursos percecionados pelo próprio para enfrentar a situação, colocando em risco o seu bem-estar. O burnout ou síndrome de esgotamento profissional é um tipo específico de stresse ocupacional, ou seja, de stresse provocado pelo trabalho. Caracteriza-se, sobretudo, pela exaustão emocional e pela diminuição do envolvimento pessoal no trabalho. A autocompaixão significa cuidar de si próprio e tratar-se com gentileza em situações difíceis, gerando um equilíbrio emocional promotor de uma melhor gestão de sentimentos e das circunstâncias que os rodeiam e favorecem o otimismo e a satisfação com a vida. Com esta ação pretende-se estimular o autocuidado e a autocompaixão no pessoal docente e não docente.

Conteúdos

- Adolescência e dificuldades de regulação emocional na adolescência; - Desafios mais comuns: depressão, ansiedade social, comportamento desviante; - Encaminhamento de casos e intervenções em contexto de sala de aula; - Identificação de risco e sintomas de burnout; - Intervenções dirigidas para profissionais do burnout; - Estratégias de autocuidado.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 10-04-2024 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

INSCREVER-ME

Ref. 279Turma 1 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: ACD 033 2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 15-04-2024

Fim: 15-04-2024

Regime: Presencial

Local: Agrupamento Escolas Infante D.Henrique

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas de Viseu - VISPROF


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 15-04-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial

Ref. 283Turma 1 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-122783/24

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 15.0 horas

Início: 15-04-2024

Fim: 15-04-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Alves Martins

Destinatários

Educadores de Infância, docentes dos Ensinos Básico e Secundário e docentes de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, docentes dos Ensinos Básico e Secundário e docentes de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas de Viseu - VISPROF

Enquadramento

O bom desempenho em tarefas que dependem de funções executivas (FE), enquanto habilidades cognitivas associadas aos processos de controlo de comportamentos e emoções, é fator preditor do sucesso nas habilidades académicas e aprendizagem geral, bem como das competências social e emocional. Estudos mostram que pessoas com perturbação do espectro de autismo (PEA) apresentam dificuldades nessas funções, nomeadamente ao nível da memória, controlo inibitório e flexibilidade cognitiva, com implicações diretas na sua socialização, aprendizagem e relações sociais Compreender como se organizam e que estratégias podemos desenvolver para facilitar o desenvolvimento das FE é fundamental na capacitação de docentes e outros agentes educativos.

Objetivos

- Compreender o que são, como se organizam e desenvolvem as Funções Executivas (FE) na infância; - Discutir implicações na aprendizagem e estratégias facilitadoras do desenvolvimento e otimização das FE em contextos educacionais, em alunos com PEA - Refletir sobre a importância dos docentes neste processo, em articulação com demais agentes educativos.

Conteúdos

1 Funções executivas: abordagem teórica 1.1 Conceitos e construtos; 1.2 Como se desenvolvem; 1.3 Formas de avaliação (apresentação de resultados de investigações recentes); 2 As Funções executivas: abordagem neuropsicológica 2.1 Memória de trabalho; 2.2 Controlo inibitório (comportamental, atencional e cognitivo); 2.2 Flexibilidade cognitiva; 3. Desenvolvimento das Funções executivas em alunos com TEA 3 Exemplos e estratégias facilitadoras do desenvolvimento das funções cognitivas e da aprendizagem. 1 Funções executivas: abordagem teórica – 3h 1.1 Conceitos e construtos; 1.2 Como se desenvolvem; 1.3 Formas de avaliação (apresentação de resultados de investigações recentes); 2 As Funções executivas: abordagem neuropsicológica – 4h 2.1 Memória de trabalho; 2.2 Controlo inibitório (comportamental, atencional e cognitivo); 2.2 Flexibilidade cognitiva; 3. Inclusão e participação de alunos com TEA – 4h 3.1 Funções executivas em alunos com TEA 3.2 O Papel das FE na autorregulação comportamental 3.2 TEA e condições associadas 4 Exemplos e estratégias facilitadoras do desenvolvimento das funções cognitivas e da aprendizagem. – 4h 3.1. Estudos de caso 3.2. Criação de materiais

Metodologias

A sessão de formação tem um caráter teórico-prático, com trabalhos de pares e em grupo, e estudos de caso nos quais os formandos irão explorar as FE, as suas implicações na aprendizagem e estratégias facilitadoras do seu desenvolvimento.

Avaliação

Classificação na escala de 1 a 10, conforme indicado na Carta Circular CCPFC-3/setembro. Cada formando realizará um trabalho escrito individual.

Bibliografia

• Demetriou E., DeMayo M. & Guastella A. (2019). Executive Function in Autism Spectrum Disorder: History, Theoretical Models, Empirical Findings, and Potential as an Endophenotype. Front. Psychiatry 10:753.• Diamond, A. (2013). The executive functions: What they are, how they work, and why they matter. New York: Guilford Press.• Diamond, A., & Lee, K. (2011). Interventions that improve executive function in children with attention-deficit/hyperactivity disorder. Nature Reviews Neuroscience, 12(11), 699-711.• Duckworth, A. L. et al. (2019). Self-control and academic achievement. Annual Review of Psychology, vol. 70, 373-399• Miyake, A., & Friedman, N. P. (2012). The nature and organization of individual differences in executive functions: Four general conclusions. Current Directions in Psychological Science, 21, 8-14.


Observações

Critérios de seleção: 1 - Docentes das escolas associadas do Visprof; 2 - Docentes de outras escolas; Em cada critério, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 15-04-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
2 18-04-2024 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
3 22-04-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
4 24-04-2024 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
5 29-04-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial

Ref. 277Turma 1 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: ACD 031 2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 23-04-2024

Fim: 23-04-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Alves Martins

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas de Viseu - VISPROF

Enquadramento

O CinEd é um programa de cooperação europeia que se dedica à educação cinematográfica e à criação de recursos pedagógicos desde 2015. O seu objetivo é o de facilitar a descoberta do cinema, como matéria artística e de conhecimento do mundo. O CinEd disponibiliza, através da sua plataforma online, um conjunto de obras cinematográficas, filmes patrimoniais e contemporâneos selecionados previamente pelo conjunto dos participantes -a Colecção CinEd- oriundas de cada país parceiro do projeto -Portugal, Espanha, França, Itália, Roménia, Bulgária, República Checa, Finlândia, Lituânia, Croácia, Alemanha, Grécia e Turquia - destinadas a jovens no âmbito escolar (desde o ensino básico ao secundário) e ainda fora da escola. Todos os filmes desta colecção têm características técnicas que lhes permitem ser projetados através de um download temporário em sala de cinema. Os filmes da colecção CinEd, têm legendas disponíveis além do inglês, nas várias línguas dos países envolvidos e são acompanhados por cadernos pedagógicos criados a partir de uma carta comum a todos os países, com critérios e regras partilhadas, que servirão de base de trabalho para professores, formadores, mediadores culturais e todos os interessados em desenvolver projetos de educação para o cinema. Em Portugal foram produzidos três cadernos pedagógicos sobre O Sangue de Pedro Costa, Uma Pedra no Bolso de Joaquim Pinto e Aniki-Bóbó de Manoel de Oliveira, os filmes portugueses escolhidos para integrar a Colecção, mas com igual acesso aos cadernos pedagógicos de todos os outros filmes, com tradução em português

Objetivos

O Cinema por Dentro” é um Workshop de sensibilização à linguagem e matéria do cinema, a partir da visualização, análise e discussão de filmes, do ponto de vista da criação cinematográfica. Apresentação e exploração dos múltiplos recursos pedagógicos produzidos no âmbito dos programas de cooperação europeia (e transcontinental) de educação ao cinema: CinEd, e Cinema, Cem Anos de Juventude (projeto que em Portugal integra o programa O Mundo À Nossa Volta), disponibilizados em sites e plataformas, que poderão vir a ser utilizados mediante inscrição gratuita. Neles são lançadas pistas de trabalho sobre uma pedagogia de educação para o cinema, adaptável a diferentes idades, regiões, lugares e meios (dentro e fora da escola), que tem vindo a ser pensada, discutida, experimentada e partilhada há largos anos com parceiros de vários países do mundo, que a associação Os Filhos de Lumière desenvolve em Portugal em parceria com a Cinemateca Portuguesa, o PNA – Plano Nacional das Artes e o PNC - Plano Nacional de Cinema.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 23-04-2024 (Terça-feira) 09:30 - 13:30 4:00 Presencial

Ref. 259Turma1 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-123277/24

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 30-04-2024

Fim: 30-04-2024

Regime: Presencial

Local: None

Formador

Sofia Margarida Guedes de Campos

Maria Isabel Bica Carvalho

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas de Viseu - VISPROF

Enquadramento

O governo reconhece a igualdade e a não discriminação como condição para a construção de um futuro sustentável para Portugal. Neste âmbito, tem priorizado a intervenção ao nível da saúde e da educação, da prevenção e combate à violência doméstica e de género, e do combate à discriminação em razão do sexo, da orientação sexual, identidade e expressão de género, e características sexuais, orientado pelos princípios constitucionais da igualdade e da não discriminação e da promoção da igualdade entre mulheres e homens (CM n.º 61/2018). A Escola Superior de Saúde de Viseu pretende contribuir para o desenvolvimento do interior do país na formação de cidadãos e cidadãs mais competentes e capacitados para assumir uma cidadania responsável e livre de preconceitos.

Objetivos

1. Sensibilizar a população alvo para a promoção da igualdade entre homens e mulheres 2. Promover a cidadania e a igualdade para o género 3. Dinamizar de atividades de promoção da cidadania e igualdade na educação (área de intervenção prioritária)

Conteúdos

I - Enquadramento Conceptual – 4 horas Igualdade, diversidade e cidadania Sexo e género Papéis sociais de género, paradigmas e estereótipos Linguagem como paradigma das (des) igualdades Coeducar para uma cidadania democrática II. Igualdade para o Género – 6 horas Orientações estruturantes para a igualdade entre homens e mulheres: internacional e nacional - Plano Nacional para a Cidadania, Igualdade e Género - Plano Nacional Contra a Violência Doméstica - Plano Nacional Contra o Tráfico de Seres Humanos Mecanismos nacionais e internacionais para a promoção da igualdade para o género Responsabilidade social das organizações da sociedade civil para a concretização da igualdade de género III – Roteiros Temáticos de Género: Abordagem Social e Jurídica – 7 horas Dimensão pessoal e familiar Dimensão profissional Conciliação entre a vida profissional, familiar e pessoal Democracia paritária – poder político e tomada de decisão Violência de género Saúde, Direitos sexuais e reprodutivos Mainstreaming de género e Ações positivas IV – Metodologias de formação em IG e Sugestões de Operacionalização – 6 horas Utilização de Métodos e Técnicas andragógicas promotoras de aprendizagem e facilitadores da apropriação de conhecimento nas temáticas da IG V - Apresentação e avaliação (2 horas) - Apresentar os objetivos e conteúdos do programa de formação (início da formação) - Refletir sobre a importância da formação numa dinâmica de grupo (após a formação) - Aplicar questionário de avaliação da formação (após cada sessão e no final do curso)

Metodologias

Pretende-se que a formação tenha a participação ativa dos formandos, neste sentido serão utilizadas diversas tipologias de aprendizagem: - Exposição oral dos temas com recurso a meios áudio visuais - Visualização de filmes e sua análise - Dinâmicas de grupo - “Brainstorming”, para produção de novas ideias - Apresentação de Ações positivas e de Mainstreaming - Partilha de experiências

Avaliação

Os formandos serão avaliados com uma avaliação quantitativa com referencial de escala de avaliação previsto no 2 do artigo 46.º do Estatuto da Carreira Docente aprovado pelo Decreto-Lei n.º 15/2007, de 19 de janeiro: Excelente – de 9 a 10 valores; Muito Bom – de 8 a 8, 9 valores; Bom – de 6, 5 a 7, 9 valores; Regular – de 5 a 6, 4 valores; Insuficiente – de 1 a 4, 9 valores.

Bibliografia

Diário da República n.º 97/2018, Série I de 2018-05-21. Estratégia Nacional para a Igualdade e a Não Discriminação 2018-2030. V Plano de Ação para a Prevenção e o Combate ao Tráfico de Seres Humanos 2018-2021 III Plano Nacional de Prevenção e Combate ao Tráfico de Seres Humanos, 2014-2017 II Plano Nacional Contra o Tráfico de Seres Humanos, 2011-2013 I Plano Nacional Contra o Tráfico de Seres Humanos, 2007-2010


Observações

Critérios de seleção: 1 - Docentes das escolas associadas do Visprof; 2 - Docentes de outras escolas; Em cada critério, por ordem de inscrição.


Ref. 280Turma 1 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: ACD 034 2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 13-05-2024

Fim: 13-05-2024

Regime: Presencial

Local: Agrupamento Escolas Infante D.Henrique

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas de Viseu - VISPROF


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 13-05-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial

Ref. 281Turma 1 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: ACD 035 2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 17-06-2024

Fim: 17-06-2024

Regime: Presencial

Local: Agrupamento Escolas Infante D.Henrique

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas de Viseu - VISPROF


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 17-06-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial

Ref. 248Turma 1 A decorrer

Registo de acreditação: ACD 013 2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 21-02-2024

Fim: 06-03-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Viriato

Formador

Maria Manuela da Silva Claro de Andrade Alves

Destinatários

Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas de Viseu - VISPROF

Enquadramento

Tendo por base o desiderato da construção de uma Educação cada vez mais inclusiva, é premente a necessidade de conhecer e aplicar o Desenho Universal para a Aprendizagem (DUA) enquanto abordagem universal, acessível e flexível do currículo. O DUA vem reforçar o compromisso com a inclusão, potenciando a diversidade, pelo que é imperioso envolver ativamente os docentes nesta abordagem curricular, com um trabalho reflexivo, colaborativo e cooperativo, sempre numa lógica de articulação horizontal e articulação vertical, tendo como apoio o planeamento centrado no aluno e os referenciais legais vigentes. Assim, todos os participantes são desafiados a refletirem e a construírem materiais flexíveis que transformem as suas práticas educativas em percursos inovadores, melhorando a qualidade das interações no seio escolar e, concomitantemente, o sucesso e a participação plena de todos os alunos, sem deixar ninguém para trás.

Conteúdos

1 -Enquadramento do novo paradigma da inclusão e a sua relação com a abordagem curricular do Desenho Universal de Aprendizagem (DUA); 2 -DUA: origem, conceitos e fundamentos; 3 -Implementação do DUA em sala de aula -alguns exemplos práticos; 4 -Instrumentos de apoio à prática e ao planeamento;


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 21-02-2024 (Quarta-feira) 17:45 - 20:45 3:00 Presencial
2 06-03-2024 (Quarta-feira) 17:45 - 20:45 3:00 Presencial

Ref. 206Turma 3 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116330/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 23-01-2024

Fim: 14-03-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Emidio Navarro

Formador

Maria João Oliveira Lopes Costa

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial, do grupo de recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial, do grupo de recrutamento 360. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial, do grupo de recrutamento 360.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas de Viseu - VISPROF

Enquadramento

Inclusão, equidade, cooperação, solidariedade, responsabilidade e interligação, são conceitos-chave que enformam as políticas e as práticas educativas. Assegurar o direito de todos à educação é garantir acesso, presença, participação e sucesso em processos educativos de qualidade. Os atores educativos, nomeadamente lideranças de topo e intermédias, são figuras essenciais na educação e na transformação social. Acolher e apoiar todos os alunos, independentemente das suas capacidades e exigências, são dois compromissos éticos e profissionais indiscutíveis. Uma escola inclusiva exige uma liderança eficaz, capaz de apoiar e promover o envolvimento de toda a comunidade escolar. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

Identificar práticas de gestão e organização pedagógica, de topo e intermédias, à luz dos normativos/documentos de referência sobre políticas de inclusão Explorar fatores que se constituem como obstáculo à inclusão na escola e sociedade Consolidar uma perspetiva de abordagem integrada de práticas que concorrem para a inclusão Refletir sobre a relevância das aprendizagens informais, os meios de as incorporar na promoção de ambientes educativos favoráveis à participação de alunos na condução do processo educativo Promover estratégias de otimização da participação dos alunos na vida da escola Elencar mecanismos de promoção do envolvimento das famílias na criação de ambientes inclusivos Refletir sobre o papel das lideranças na criação de ambientes promotores de aprendizagens não-formais e informais consistentes com os objetivos da educação inclusiva Equacionar os termos da cooperação interinstitucional em ordem à inclusão Refletir sobre instrumentos de monitorização das práticas de inclusão

Conteúdos

1. Enquadramento teórico e normativo 1.1. Quadro conceptual Os direitos humanos e as políticas de inclusão. Justiça distributiva e éticas do cuidado. Tradução dos princípios de justiça em direitos e capacidades. O projeto Strength Through Diversity e a diversidade dos públicos na educação escolar: dimensões da diversidade; abordagens multinível da diversidade em educação. 1.2. Quadro normativo de referência Os Decretos-Leis nº 54/2018 de 6 de julho (na sua redação atual) e n.º 55/2018, de 6 de julho (e respetivas Portarias). O Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. Autonomia e responsabilidade dos decisores locais: interpretação dos normativos; as margens de autonomia potenciada pela portaria n.º 181/2019, de 11 de junho, na sua redação atual. Documentos curriculares e instrumentos de autonomia dos AE/ENA. 1.3. Dimensões organizacionais das políticas de inclusão – exercício exploratório [trabalho com os formandos, orientado pela abordagem prévia dos pontos 1.1. e 1.2.] 2. Concretização das políticas de inclusão 2.1 As escolas e as práticas A inclusão em contexto: modelos educativos e conceções de cidadania e equidade. 2.2. Os agentes sociais das práticas de inclusão Pessoas, instituições, ambientes de aprendizagem. Cooperação interinstitucional em ordem à inclusão. 2.3. Os recursos para a inclusão A identificação e gestão dos recursos (humanos, materiais, institucionais) e a sua potencialização na promoção da escola inclusiva. 2.4. Contextos de interação socioeducativa na perspetiva da inclusão: a sala de aula e ‘o resto’ – exercício exploratório [trabalho com os formandos, orientado pela abordagem prévia dos pontos 2.1., 2.2. e 2.3.] 3. Conhecer, partilhar, decidir 3.1. Conhecer e cooperar com as pessoas e as instituições 3.2. Conhecer, estimular e proteger as crianças e jovens: princípios, métodos, instrumentos 3.3. Conhecer para transformar: dos instrumentos de suporte à monitorização às modalidades de participação de professores, pais e alunos nos processos de decisão – exercício exploratório [trabalho com os formandos, orientado pela abordagem prévia dos pontos 3.1. e 3.2.] 4. Avaliação Apresentação e discussão dos trabalhos/produtos finais dos formandos

Metodologias

Exploração dos temas propostos, com adequado suporte teórico. Reflexão, análise e discussão em grupo, com recurso a fontes documentais pertinentes. Debate em plenário. Elaboração individual de trabalho/produto final da ação, em função dos interesses dos formandos.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

Cerna, L. et al. (2021) Promoting inclusive education for diverse societies: A conceptual framework. Disponível em: Promoting inclusive education for diverse societies : A conceptual framework | OECD Education Working Papers | OECD iLibrary (oecd-ilibrary.org)Eurydice (2020). A equidade na educação escolar na Europa (trad. Lisboa: DGEEC/Unidade portuguesa de Eurydice). Disponível em: https://op.europa.eu/en/publication-detail/-/publication/517ee2ef-4404-11eb-b59f-01aa75ed71a1/language-ptEuropean Agency for Special Needs and Inclusive Education (2021). Inclusive School Leadership: A Tool for Self-Reflection on Policy and Practice. (M. Turner-Cmuchal, E. Óskarsdóttir and M. Bilgeri, eds.). Odense, Denmark. Disponível em: https://www.european-agency.org/sites/default/files/SISL_Self-Reflection_Tool.pdfPereira, F. (Coord.). (2018). Para uma Educação Inclusiva. Manual de Apoio à Prática. Lisboa. Ministério da Educação. Direção-Geral da Educação. Disponível em: https://dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdfUNESCO (2022). Reaching out to all learners: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO, IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 23-01-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
2 30-01-2024 (Terça-feira) 18:30 - 22:00 3:30 Presencial
3 06-02-2024 (Terça-feira) 18:30 - 22:00 3:30 Presencial
4 20-02-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
5 27-02-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
6 05-03-2024 (Terça-feira) 18:30 - 22:00 3:30 Presencial
7 11-03-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
8 14-03-2024 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial

Ref. 206Turma 4 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116330/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 23-01-2024

Fim: 14-03-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Emidio Navarro

Formador

Paula Cristina Santos Ferreira

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial, do grupo de recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial, do grupo de recrutamento 360. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial, do grupo de recrutamento 360.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas de Viseu - VISPROF

Enquadramento

Inclusão, equidade, cooperação, solidariedade, responsabilidade e interligação, são conceitos-chave que enformam as políticas e as práticas educativas. Assegurar o direito de todos à educação é garantir acesso, presença, participação e sucesso em processos educativos de qualidade. Os atores educativos, nomeadamente lideranças de topo e intermédias, são figuras essenciais na educação e na transformação social. Acolher e apoiar todos os alunos, independentemente das suas capacidades e exigências, são dois compromissos éticos e profissionais indiscutíveis. Uma escola inclusiva exige uma liderança eficaz, capaz de apoiar e promover o envolvimento de toda a comunidade escolar. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

Identificar práticas de gestão e organização pedagógica, de topo e intermédias, à luz dos normativos/documentos de referência sobre políticas de inclusão Explorar fatores que se constituem como obstáculo à inclusão na escola e sociedade Consolidar uma perspetiva de abordagem integrada de práticas que concorrem para a inclusão Refletir sobre a relevância das aprendizagens informais, os meios de as incorporar na promoção de ambientes educativos favoráveis à participação de alunos na condução do processo educativo Promover estratégias de otimização da participação dos alunos na vida da escola Elencar mecanismos de promoção do envolvimento das famílias na criação de ambientes inclusivos Refletir sobre o papel das lideranças na criação de ambientes promotores de aprendizagens não-formais e informais consistentes com os objetivos da educação inclusiva Equacionar os termos da cooperação interinstitucional em ordem à inclusão Refletir sobre instrumentos de monitorização das práticas de inclusão

Conteúdos

1. Enquadramento teórico e normativo 1.1. Quadro conceptual Os direitos humanos e as políticas de inclusão. Justiça distributiva e éticas do cuidado. Tradução dos princípios de justiça em direitos e capacidades. O projeto Strength Through Diversity e a diversidade dos públicos na educação escolar: dimensões da diversidade; abordagens multinível da diversidade em educação. 1.2. Quadro normativo de referência Os Decretos-Leis nº 54/2018 de 6 de julho (na sua redação atual) e n.º 55/2018, de 6 de julho (e respetivas Portarias). O Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. Autonomia e responsabilidade dos decisores locais: interpretação dos normativos; as margens de autonomia potenciada pela portaria n.º 181/2019, de 11 de junho, na sua redação atual. Documentos curriculares e instrumentos de autonomia dos AE/ENA. 1.3. Dimensões organizacionais das políticas de inclusão – exercício exploratório [trabalho com os formandos, orientado pela abordagem prévia dos pontos 1.1. e 1.2.] 2. Concretização das políticas de inclusão 2.1 As escolas e as práticas A inclusão em contexto: modelos educativos e conceções de cidadania e equidade. 2.2. Os agentes sociais das práticas de inclusão Pessoas, instituições, ambientes de aprendizagem. Cooperação interinstitucional em ordem à inclusão. 2.3. Os recursos para a inclusão A identificação e gestão dos recursos (humanos, materiais, institucionais) e a sua potencialização na promoção da escola inclusiva. 2.4. Contextos de interação socioeducativa na perspetiva da inclusão: a sala de aula e ‘o resto’ – exercício exploratório [trabalho com os formandos, orientado pela abordagem prévia dos pontos 2.1., 2.2. e 2.3.] 3. Conhecer, partilhar, decidir 3.1. Conhecer e cooperar com as pessoas e as instituições 3.2. Conhecer, estimular e proteger as crianças e jovens: princípios, métodos, instrumentos 3.3. Conhecer para transformar: dos instrumentos de suporte à monitorização às modalidades de participação de professores, pais e alunos nos processos de decisão – exercício exploratório [trabalho com os formandos, orientado pela abordagem prévia dos pontos 3.1. e 3.2.] 4. Avaliação Apresentação e discussão dos trabalhos/produtos finais dos formandos

Metodologias

Exploração dos temas propostos, com adequado suporte teórico. Reflexão, análise e discussão em grupo, com recurso a fontes documentais pertinentes. Debate em plenário. Elaboração individual de trabalho/produto final da ação, em função dos interesses dos formandos.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

Cerna, L. et al. (2021) Promoting inclusive education for diverse societies: A conceptual framework. Disponível em: Promoting inclusive education for diverse societies : A conceptual framework | OECD Education Working Papers | OECD iLibrary (oecd-ilibrary.org)Eurydice (2020). A equidade na educação escolar na Europa (trad. Lisboa: DGEEC/Unidade portuguesa de Eurydice). Disponível em: https://op.europa.eu/en/publication-detail/-/publication/517ee2ef-4404-11eb-b59f-01aa75ed71a1/language-ptEuropean Agency for Special Needs and Inclusive Education (2021). Inclusive School Leadership: A Tool for Self-Reflection on Policy and Practice. (M. Turner-Cmuchal, E. Óskarsdóttir and M. Bilgeri, eds.). Odense, Denmark. Disponível em: https://www.european-agency.org/sites/default/files/SISL_Self-Reflection_Tool.pdfPereira, F. (Coord.). (2018). Para uma Educação Inclusiva. Manual de Apoio à Prática. Lisboa. Ministério da Educação. Direção-Geral da Educação. Disponível em: https://dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdfUNESCO (2022). Reaching out to all learners: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO, IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 23-01-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
2 30-01-2024 (Terça-feira) 18:30 - 22:00 3:30 Presencial
3 06-02-2024 (Terça-feira) 18:30 - 22:00 3:30 Presencial
4 20-02-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
5 27-02-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
6 05-03-2024 (Terça-feira) 18:30 - 22:00 3:30 Presencial
7 11-03-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
8 14-03-2024 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial

Ref. 229Turma 1 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-121078/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 15.0 horas

Início: 13-10-2023

Fim: 28-05-2024

Regime: Presencial

Local: Agrupamento Escolas Infante D.Henrique

Formador

Maria Martins

José Pereira de Sousa

Dinis Augusto Saraiva

Anabela de Oliveira Duarte da Cruz Carvalho

Fátima Loreta da Vila

José Bernardino Seixas Marques

António Fernando da Silva Santos

Cristina da Conceição de Almeida Reis

Destinatários

Docentes de Educação Pré-Escolar, docentes dos Ensinos Básico e Secundário e docentes de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Docentes de Educação Pré-Escolar, docentes dos Ensinos Básico e Secundário e docentes de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Docentes de Educação Pré-Escolar, docentes dos Ensinos Básico e Secundário e docentes de Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas de Viseu - VISPROF

Enquadramento

Esta formação integra o Plano de Formação do AE Infante D. Henrique há 10 anos consecutivos. Esta modalidade de ação integra o Plano de Formação do AE Infante D. Henrique há 11 anos consecutivos. A abordagem das temáticas, propostas a partir do levantamento das necessidades de formação/solicitações por parte dos docentes do agrupamento, visa a sua capacitação para um melhor desempenho profissional, através da reflexão conjunta e da construção partilhada de respostas contextualizadas às dificuldades sentidas nas escolas deste agrupamento e publicamente assumidas em sede de PE. Assim, as respostas construídas, ao decorrerem da discussão e partilha alargadas (um grande nº de docentes de todos os departamentos), e de implementação generalizada mais consensual, têm-se revelado mais eficazes.

Objetivos

- Contribuir para a melhoria da ação educativa da escola através da promoção da melhoria das práticas profissionais dos professores; - Proporcionar formação contextualizada, de acordo com as especificidades do agrupamento e indo ao encontro das necessidades identificadas no seu plano de formação; - Promover o trabalho colaborativo e o desenvolvimento profissional e organizacional; - Incrementar o espírito reflexivo e autocrítico dos professores face às suas práticas profissionais, através da criação de um espaço de partilha e reflexão conjunta; - Contribuir para a melhoria das aprendizagens, através da construção partilhada de soluções pertinentes e contextualizadas.

Conteúdos

As temáticas a abordar foram propostas pelos docentes deste agrupamento, a partir do levantamento solicitado pelo Conselho Pedagógico a todos os Departamentos, e resulta da necessidade de encontrar respostas para os problemas e dificuldades identificadas ao longo do ano transato. Nessas preocupações, este ano, assumiram grande protagonismo as que decorrem das mudanças preconizadas pelas medidas de política educativa, nomeadamente: o aprofundamento das práticas de monitorização; o envolvimento dos alunos nos processos de aprendizagem e avaliação; práticas de avaliação pedagógica com recursos digitais e a promoção do bem-estar emocional na escola. Assim, temos as seguintes temáticas: - Avaliação Pedagógica e Desenvolvimento Curricular - 3 h - Bem-Estar, Gestão Emocional e Qualidade da Ação Educativa - 3h - Interculturalidade e Cidadania: Práticas de Inclusão – 3h - Metodologias de Aprendizagem Ativa – 3h - Desenvolvimento de Competências Leitoras e Qualidade das Aprendizagens – 3h

Metodologias

Esta ação, enquadrada na perspetiva de construção partilhada e contextualizada de respostas, é constituída por 5 sessões de 3h , práticas e reflexivas, a desenvolver entre setembro de 2023 e maio de 2024, com um formato comum: -Componente mais teórica (45 a 60 min) - apresentação teórico-concetual e atualizada da temática, de forma dinâmica e interativa, em que os docentes podem partilhar experiências, dificuldades, expetativas, propostas, … -Componente prática (cerca de 60 min) - os docentes são divididos em pequenos grupos de trabalho para, a partir dessa abordagem, poderem elaborar/reformular propostas de estratégias, recursos/materiais pedagógicos: fichas/grelhas/planos de aula/estratégias de atuação,…, para abordagem com os alunos, reflexão/trabalho em grupo/departamento, abordagem dos DT aos EE, resolução de problemas. Nos últimos 60 minutos, e de novo em grande grupo, são apresentadas as propostas, a partir das quais é elaborada uma proposta final a implementar no agrupamento.

Avaliação

Escala de avaliação de 1 a 10 valores de acordo com o ECD e com as cartas circulares 3/2007 e 1/2008 do CCPFC. A aprovação na ação dependerá da obtenção de classificação igual ou superior a 5 valores e da frequência mínima de 2/3 do total de horas conjuntas da Ação. - Relatório crítico centrado nas temáticas de cada um dos módulos da formação.

Bibliografia

ME (2018). Para uma Educação Inclusiva. Manual de Apoio à Prática. Lisboa: Editorial do MERoldão, Céu. (2018). Gestão Curricular Revisitada. Direção-Geral da Educação. Lisboa: Ministério da Educação. Cosme, A., Lima, L, Ferreira, D, Ferreira, N. (2021). Metodologias, Métodos e Situações de Aprendizagem. Propostas e Estratégias de Ação. Porto Editora. Porto. Machado, E. (2022). Autoavaliação. Folha de apoio à formação-Projeto MAIA. Lisboa: Ministério da Educação. Novoa, A. E Alvim, Y. (2022). Escolas e Professores Proteger, Transformar, Valorizar. Salvador, Bahia.


Observações

Critérios de seleção: Ser docente do Agrupamento de Escolas Infante D, Henrique Ser docente EE de alunos do Agrupamento de Escolas Infante D, Henrique Ser docente de outras escolas associadas ao Visprof Ser docente de outras escolas

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 13-10-2023 (Sexta-feira) 21:00 - 23:59 2:59 Presencial
2 24-11-2023 (Sexta-feira) 21:00 - 23:59 2:59 Presencial
3 02-02-2024 (Sexta-feira) 21:00 - 23:59 2:59 Presencial
4 27-02-2024 (Terça-feira) 19:00 - 22:00 3:00 Presencial

Ref. 267Turma 1 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-122486/24

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 19-02-2024

Fim: 05-03-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Superior de Saúde

Formador

Luís Miguel Pereira Condeço

Maria Odete Pereira Amaral

Sónia Patricia Teixeira da Silva Alves

Amadeu Matos Gonçalves

Sofia Margarida Guedes de Campos

Destinatários

Professores dos 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas de Viseu - VISPROF

Enquadramento

As perturbações mentais na infância apresentam elevadas prevalências, com consequências no desenvolvimento social, intelectual, físico e emocional das crianças, jovens, adultos e comunidade geral. Neste sentido, a escola representa um importante setting para a promoção da saúde mental da comunidade escolar; para melhorar a literacia em saúde e para capacitar a comunidade escolar na identificação e encaminhamento das crianças e adolescentes com problemas de saúde mental. Assim, o programa de intervenção formativa ProMenteSã visa delinear um conjunto de ações com vista a empoderar os professores na promoção da saúde mental em meio escolar e consequentemente minorar a vulnerabilidade em saúde mental das crianças e adolescentes.

Objetivos

OBJETIVOS GERAIS: 1. Promover a literacia em saúde da comunidade educativa. 2. Promover a saúde mental como forma de desenvolvimento social, intelectual e emocional. 3. Promover a saúde em meio escolar de modo a contribuir para a melhoria dos determinantes em saúde, prevenção dos consumos, educação para a sexualidade, alimentação saudável, educação do sono, o combate à violência, entre outras necessidades identificadas através do diagnóstico de situação.

Conteúdos

1. Consumos e dependências – Novos comportamentos aditivos: internet, novas tecnologias - (5 horas) - Conceitos de dependências e toxicodependências - Os jovens e o consumo (recreativo) de drogas - Novas adições - Prevenção, tratamento e reabilitação. 2. Perturbações do comportamento alimentar: Alteração da imagem corporal, anorexia e bulimia nervosa, obesidade - (4 horas) - Breve enquadramento e características das Perturbações do comportamento alimentar (PCA) - Sinais e sintomas associados às PCA - Fatores de risco associados às PCA - Programas de Prevenção das PCA 3. Sono - (3 horas) - Como funciona o sono. - Importância/benefícios do sono e do repouso no dia-a-dia. - Efeitos da privação do sono a nível individual, familiar e na sociedade. - Combater a indisciplina, distração, mau humor em contexto escolar promovendo a educação do sono. - A higiene do sono. 4. Perturbações do neurodesenvolvimento: Comportamentos internalizantes e externalizantes – (6 horas) - Clarificação de alguns conceitos: - Ansiedade, stress, depressão, comportamentos suicidários …. - Prevenção - Referenciação - Diagnóstico e intervenção 5. Relações interpessoais: vivência saudável e responsável da sexualidade, violência no namoro, violência escolar, violência doméstica, abuso/negligência/maus tratos, bulliyng e ciberbulliyng - (5 horas) - As emoções, as relações interpessoais e a comunicação; -Características de relações saudáveis e de relações tóxicas; -Conflitos e Formas de violência. 6. Apresentação e avaliação (2 horas) - Apresentar os objetivos e conteúdos do programa de formação (início da formação) - Refletir sobre a importância da formação numa dinâmica de grupo (após a formação). - Aplicar questionário de avaliação da formação (após cada sessão e no final do curso)

Metodologias

Pretende-se que as sessões sejam eminentemente práticas no sentido do desenvolvimento e treino de competências dos docentes para sinalização e encaminhamento adequado das várias problemáticas. 1.Exposição oral dos temas com ajuda de meios audio-visuais 2.Trabalhos de grupo de análise de casos, com o objectivo de sensibilizar e produzir conhecimento; 3. Psicodrama, com o objectivo de fazer intuir situações reais; 4.”Brainstorming” para produção de novas ideias; 5 -Estudo de casos.

Avaliação

Os formandos serão avaliados com uma avaliação quantitativa com referencial de escala de avaliação previsto no 2 do artigo 46.º do Estatuto da Carreira Docente aprovado pelo Decreto-Lei n.º 15/2007, de 19 de Janeiro: Excelente – de 9 a 10 valores; Muito Bom – de 8 a 8, 9 valores; Bom – de 6, 5 a 7, 9 valores; Regular – de 5 a 6, 4 valores; Insuficiente – de 1 a 4, 9 valores.

Bibliografia

Pereira, F., & Cunha, P. (coords.). (2016). Referencial de educação para a saúde. Lisboa: Ministério da Educação, Direção-Geral da Educação, Direção-Geral da Saúde. Acedido em http://dge.mec.pt/noticias/educacao-saude/referencial-de-educacao-para-saudePortugal, Ministério da Saúde, Direção-Geral da Saúde. (2016). Manual para a promoção de competências socioemocionais em meio escolar. Lisboa: DGS. Acedido em http://spo-franciscofranco.blogspot.pt/2016/09/manual-para-a-promocao-de-competencias.htmlPortugal, Ministério da Saúde, Direção-Geral da Saúde. (2017). Programa nacional para a saúde mental 2017. Lisboa: DGS. Acedido em https://www.dgs.pt/em-destaque/relatorio-do-programa-nacional-para-a-saude-mental-2017.aspxPortugal, Ministério da Saúde, Direção-Geral da Saúde. (2017). Programa nacional para a saúde mental: Orientações programáticas. Lisboa: DGS. Acedido em https://www.dgs.pt/em-destaque/programas-de-saude-prioritarios-orientacoes-programaticas.aspxWorld Health Organization, Regional Office for Europe. The European mental health action plan 2013/2020 [Internet]. Genève: WHO; 2015.


Observações

Critérios de seleção: 1 - Docentes das escolas associadas do Visprof; 2 - Docentes de outras escolas; Em cada critério, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 19-02-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
2 20-02-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
3 26-02-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
4 27-02-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
5 02-03-2024 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial
6 02-03-2024 (Sábado) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial
7 04-03-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
8 05-03-2024 (Terça-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Presencial

Ref. 228Turma 1 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-121045/23

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 26-01-2024

Fim: 28-02-2024

Regime: Presencial

Local: Pavilhão IPV

Formador

Carla Cristina Vieira Lourenço

Destinatários

Professores dos grupos 260 e 620

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos 260 e 620. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos 260 e 620.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas de Viseu - VISPROF

Enquadramento

O PEI permite auxiliar o professor de EF no que diz respeito às necessidades, capacidades e potencialidades do estudante de modo a realizar um planeamento adequado às características de cada um. Atendendo à eficácia da utilização do PEI-EF, já estudada e documentada noutros países, achamos por bem propor uma formação destinada a professores de Educação Física para dar a conhecer este instrumento de trabalho, assim como, ensinar a elaborá-lo e aplicado. O PEI-EF, é um instrumento cuja validação de conteúdo foi realizada para a realidade portuguesa por Lourenço, C., Ferreira, J.P. e Munster, M.V. (2023).

Objetivos

- Conhecer o Plano de Ensino Individualizado – aplicado à Educação Física; - Perceber a importância da elaboração do PEI – EF para os estudantes com deficiência ou que usufruem de medidas seletivas ou adicionais (caso necessitem); - Elaborar do documento (PEI-EF); - Aplicação prática do PEI-EF na realidade escolar.

Conteúdos

Componente teórica: - Apresentação da ação, conteúdos e critérios de avaliação; - Apresentação do Plano de Ensino Individualizado – aplicado à Educação Física, a sua importância no ensino e a sua constituição; Componente teórica prática: - Elaboração do PEI-EF partindo de exemplos reais; Componente prática - Aplicação prática do PEI-EF na realidade escolar (trabalho autónomo); Componente teórica - Plenário - Apresentação do trabalho resultante da aplicação em contexto escolar.

Avaliação

A avaliação dos formandos, para além do cumprimento das orientações legais, terá por base a qualidade e adequação da implementação de uma proposta de situações práticas de aprendizagem, em contexto académico (25h práticas e autónomas). Será realizado um plenário onde cada formando apresenta os resultados obtidos na aplicação do instrumento em contexto escolar. Os instrumentos produzidos serão avaliados numa escala quantitativa de 1 a 10 valores com a seguinte ponderação: Qualidade do trabalho desenvolvido autonomamente 60% (No contexto escolar) (40%) presentação e discussão dos dados.

Bibliografia

- Lourenço, C., Ferreira, J.P, & Munster, A. V. (2023). Validação de conteúdo do instrumento “Plano de Ensino Individualizado aplicado à Educação Física”. Uma Proposta de Intervenção em Portugal. Retos, 48, 439-449.- Orlando-Bacciotti, P., Campos, L., Munster, A.V. (2023) . Interfaz entre la educación física y el plan educativo individualizado: una revisión sistemática. Retos, 47, 474-481.- Samalot-Rivera, A., & Lieberman, L.J. (2017). Adapted Physical Educators current level of involvement in the PEI process. Palaestra, 31(3), 26-30- Samalot-Rivera, A., Munster, M.A.V., LIeberman, L.J., & HoustonWilson, C. (2017). Validación de contenido del Plan Educativo Individualizado Aplicado a la Educación Física: versión en español. Estudiospedagógicos, 43(2), 293- 314.- Munster, M.A.V., Lieberman, L., Samalote-Rivera, A., & HoustonWilson, C.H. (2014). Plano de Ensino Individualizado aplicado à Educação Física: validação de inventário na versão português. Revista da Sobama, 15 (1), p.43-54.


Observações

Critérios de seleção: 1º critério ser sócio da APEF Viseu; 2º critério não sócio; Dentro dos critérios ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 26-01-2024 (Sexta-feira) 19:00 - 21:00 2:00 Presencial
2 27-01-2024 (Sábado) 09:00 - 14:00 5:00 Presencial
3 17-02-2024 (Sábado) 09:00 - 12:30 3:30 Presencial
4 17-02-2024 (Sábado) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial
5 19-02-2024 (Segunda-feira) 19:00 - 21:00 2:00 Presencial
6 23-03-2024 (Sábado) 09:00 - 12:30 3:30 Presencial
7 23-03-2024 (Sábado) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial
8 30-03-2024 (Sábado) 09:00 - 12:30 3:30 Presencial
9 30-03-2024 (Sábado) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial

Ref. 265Turma 1 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-122095/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 12.0 horas

Início: 25-01-2024

Fim: 22-02-2024

Regime: e-learning

Local: Plataforma Microsoft TEAMS

Formador

Paixão dos Santos Pinto

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas de Viseu - VISPROF

Enquadramento

Em 2021, a Rede de Bibliotecas Escolares apresentou publicamente o quadro estratégico para o período entre 2021 e 2027, numa sessão pública online em que divulgou igualmente o seu portal reformulado, com novas valências e recursos e ajustado a esta nova estratégia. Desde então, o mesmo tem continuado a ser aperfeiçoado, tem agregado recursos que se encontravam dispersos por outras plataformas, constituindo-se presentemente como um auxiliar bastante relevante para todos os que desempenham as funções de professor bibliotecário, disponibilizando orientações e recursos de apoio. Assim, torna-se fundamental para os que exercem essas funções conhecerem bem esta ferramenta, de modo a poderem rentabilizar todo o seu potencial nas suas práticas diárias nas bibliotecas escolares.

Objetivos

• Conhecer a estratégia da Rede de Bibliotecas Escolares e o seu portal; • Compreender a arquitetura do portal, localizando agilmente os conteúdos disponibilizados; • Conhecer os princípios e organização das secções específicas do portal RBE; • Usar o portal RBE para fundamentar e apoiar a ação da biblioteca escolar.

Conteúdos

Sessão 1 – O Portal da RBE – arquitetura, Pesquisa e Secções - 3 horas online síncronas - O portal RBE – Arquitetura - O Portal RBE – Pesquisa global - O Portal RBE – Secções: - Projetos - Iniciativas - Suporte > Recursos: “Artes e património com a biblioteca escolar”: Enquadramento/ Bibliografia sugerida/ Propostas de trabalho. Colaboração. - Elaboração de recurso educativo sobre artes e património, fundamentado nos recursos disponibilizados. Sessão 2 – O Portal da RBE: Secções I - 3 horas online síncronas - O Portal RBE – Secções: - Suporte > Recursos: “Aprender com a biblioteca escolar: atividades e recursos”: Crescer com a leitura/ Dominar a informação/ Saber usar os media. Organização. Termos e modos de pesquisa. Colaboração. - Seleção de uma proposta de atividade disponíveis no portal RBE em cada uma das áreas (leitura, media e informação), tendo em conta a sua adequação ao PAA da biblioteca e da escola/ agrupamento. Sessão 3 – O Portal RBE: Secções II - 3 horas online síncronas - O Portal RBE – Secções: - Suporte > Recursos: “Cidadania e Biblioteca Escolar: Pensar e intervir”: Dinâmicas educativas/ Notas das escolas/ Recursos/ Racismo/ Discriminação. Organização. Termos e modos de pesquisa. Colaboração. - Elaboração de uma proposta de atividade na área da cidadania, com base nos recursos disponibilizados em “Cidadania e Biblioteca Escolar: Pensar e intervir”. Sessão 4 – O Portal RBE: Secções III - 3 horas online síncronas - O Portal RBE – Secções: - Suporte > Recursos: Secção “Biblioteca Escolar Digital”: Serviços/ Curadoria de conteúdos/ Instrumentos/ Tutoriais informação e Media/ Práticas/ Organização. Termos e modos de pesquisa. - Seleção de recursos disponibilizados na “Biblioteca Escolar Digital“ que possam ser utilizados ou servir de suporte a uma atividade do PAA da biblioteca ou à proposta de atividade elaborada para a sessão anterior. - Avaliação - apresentação de um dos trabalhos realizados ao longo das sessões de formação, à escolha do formando.

Metodologias

O Curso tem 12h online síncronas. Em cada sessão haverá momentos com um caráter sobretudo expositivo, complementados com vários momentos de interação, tendo como base a pesquisa e exploração, individual ou em grupo, do portal RBE. Promover-se-á ainda a reflexão crítica e a discussão.

Avaliação

- Avaliação contínua. Participação dos formandos ao longo das sessões. - Avaliação dos trabalhos produzidos pelos formandos individualmente e em grupo. - Relatórios críticos individuais dos formandos. A avaliação expressa-se de acordo com a tabela de 1 a 10 valores, conforme indicado na Carta Circular CCPFC-3/2007, de 26 de setembro, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua de professores, e pelos critérios da DGE.

Bibliografia

Portugal. Rede de Bibliotecas Escolares (2021). Bibliotecas Escolares: presentes para o futuro. Programa Rede de Bibliotecas Escolares: Quadro estratégico: 2021-2027. https://rbe.mec.pt/np4/file/890/qe__21.27.pdfPortugal. Rede de Bibliotecas Escolares (2017) Aprender com a biblioteca escolar. Referencial de aprendizagens associadas ao trabalho das bibliotecas escolares na educação pré-escolar e nos ensinos básico e secundário. https://www.rbe.mec.pt/np4/%7B$clientServletPath%7D/?newsId=99&fileName=referencial_2017_impres.pdf


Observações

Critérios de seleção: 1 - Docentes das escolas associadas do Visprof; 2 - Docentes de outras escolas; Em cada critério, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 25-01-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
2 01-02-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 08-02-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 22-02-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona

Ref. 202Turma 5 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116329/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 09-01-2024

Fim: 20-02-2024

Regime: e-learning

Local: Plataforma Microsoft TEAMS

Formador

Joaquim Henrique de Oliveira Simões

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas de Viseu - VISPROF

Enquadramento

O enquadramento legal da educação inclusiva e as orientações sobre a recuperação das aprendizagens constituem um enorme desafio para novas práticas inclusivas em sala de aula, bem como novas metodologias que promovam as aprendizagens de todos os alunos. Assim, há que criar ambientes seguros e estimulantes nas escolas para que o diálogo, a reflexão e a partilha desbravem o caminho e orientem todos os agentes educativos para as mudanças a realizar. Esta ação de formação procura contribuir para uma reflexão crítica sobre os desafios da diversidade, bem como apoiar a operacionalização de práticas pedagógicas ajustadas para que os alunos sejam melhores aprendentes e o professor melhor ensinante, definindo com maior acuidade as ações bem como as evidências a identificar em contexto de sala de aula. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

Explorar os documentos legislativos (DL n.º 54/2018 e 55/2018, PASEO, Aprend. Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas pedagógicas mais inclusivas Consolidar o conhecimento sobre os modelos de enquadramento à operacionalização da educação inclusiva nas suas características essenciais Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos (Desenho Universal para a Aprendizagem) Aprofundar o conhecimento sobre metodologias e estratégias pedagógicas inclusivas e inovadoras Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar–Planear–Agir– Rever para a inclusão Promover a avaliação como parte integrante da gestão inclusiva do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens Reforçar competências de trabalho colaborativo, reflexivo e de resolução de problemas entre os profissionais

Conteúdos

Módulo 1 - Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração de documentos legislativos (DL n.º 54/2018, DL n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e Aprendizagens Essenciais) de apoio à prática letiva de forma integrada, destacando-se a reflexão e a análise de práticas sobre: o os valores e princípios de base humanista, onde o aluno assume a centralidade da ação; o a gestão inclusiva, integrada, flexível e articulada do currículo; o o recurso a modelos de intervenção e modelos pedagógicos de resposta à diversidade e de promoção de uma educação de qualidade para todos os alunos; o a valorização da avaliação como parte integrante da gestão do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens; o a voz dos alunos e das suas famílias, aumentando os seus níveis de participação. Módulo 2 - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos. • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (Desenho Universal para a Aprendizagem). Módulo 3 – Gerir a diversidade em sala de aula • Gestão da diversidade em sala de aula atendendo à participação e aprendizagem efetivas de todos os alunos – partilha de práticas. • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico, que conciliem as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos. Módulo 4 – Avaliação como processo regulador do ensino e da aprendizagem • Caráter contínuo e sistemático da avaliação, ao serviço das aprendizagens, enquanto processo regulador do ensino e das aprendizagens. • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino. • O feedback como uma das dimensões indispensáveis à aplicação prática da avaliação formativa na sala de aula.

Metodologias

Nesta formação, em regime de frequência e-learning, serão abordados os conteúdos recorrendo a metodologias ativas de ensino e de aprendizagem. Será privilegiado o trabalho em pequeno e grande grupo com momentos de reflexão e de discussão restrita e alargada. Nas sessões, devem ser definidos tempos de partilha e de reflexão em torno das experiências e das práticas dos formandos, devendo o formador ter um papel ativo na ligação das práticas às políticas educativas de inclusão. Os docentes devem ser desafiados à revisão das suas práticas pedagógicas de acordo com os referenciais normativos em vigor. Elaboração de trabalho/reflexão final individual em função dos interesses e preferências dos formandos.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática Disponível em https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N., Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora, 2021.European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders Disponível em https://www.european-agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 09-01-2024 (Terça-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Presencial
2 11-01-2024 (Quinta-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Online síncrona
3 16-01-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Online síncrona
4 18-01-2024 (Quinta-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Online síncrona
5 23-01-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Online síncrona
6 25-01-2024 (Quinta-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Online síncrona
7 30-01-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Online síncrona
8 06-02-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Online síncrona
9 08-02-2024 (Quinta-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Online síncrona
10 20-02-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial